sábado, 6 de fevereiro de 2010

Um papo com o Olímpo

A tão seca existência Erus
Que às vezes alaga

Inconsciente Ades
Com poderes de Zeus

Que Baco tenha
O bom senso
De terminar
Essa bebedeira
E que faça desse vinho
Besteira

Ícaro,
meu irmão
Esqueça
Esse desejo incontrolável
De voar
Em direção ao sol
Saiba, pois
Que das ceras das asas
Brotaram lagrimas em mol

Ai de mim fraca força Hercúlea
Que da beleza de Medusa
Trarei-te a aparência
Pétrea

Que perversidade Afrodite
Não deverias enviar o cupido
Com apenas uma flecha

Gaia,
Imploro-te!
Devolva a vida
a essa terra
Onde serei embalsamado
Você querendo ou não.
Jr.Borges 02/02/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

utilize a sua inteligencia...