sábado, 12 de fevereiro de 2011

Felicidade (Jr. borges)

A felicidade não é qualquer obviedade do cotidiano
Imagino que possamos viver durante anos
Sem nunca perceber a o quanto nos anulamos
E deixamos de fazer felicidade

Não é coisa que se encontra em qualquer esquina
Mas está em tudo que há
Dependendo de como olha
Ela pode se mostrar ou de seus olhos esquivar

Não adianta concretizar
Pois vai subjetivar
como se derrete o gelo
Ou se conjuga o verbo amar

10/02/2011

Cavalgue no vento e a cada momento
Respeito o seu sentimento
Viva sem lamento
E quem sabe pela sua porta ela não simplesmente entrará

Não se acovarde
Não diga que é tarde
Tenha coragem de tentar

Pare de penar
Pois o amar e o sonhar
Irão se complementar
E a felicidade resgatar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

utilize a sua inteligencia...