domingo, 14 de agosto de 2011

Assuma seu Cabelo



Respeitem meus cabelos, brancos
              Chegou a hora de falar
       Vamos ser francos

                 Pois quando um preto fala
       O branco cala ou deixa a sala
Com veludo nos tamancos
     Cabelo veio da áfrica....
Batuques, toques, mandingas
                 Danças, tranças, cantos
     Respeitem meus cabelos, brancos..."
(Chico Cesar - Respeitem Meus Cabelos, Brancos)





Só em pensar que antigamente os cabelos eram alisados não por falta de consciência, mais porque mulheres e homens negros seriam aceitos no mercado de trabalho. Poucas empresas aceitam os Negros como eles realmente são. Já fui para várias entrevistas e não passava na seleção porque eles só queriam pessoas com “boa aparência”. Hoje eu tenho plena consciência o porquê disso tudo, e sei como me portar nessas condições. Imaginem outras pessoas que se sentem mal com isso e por se sentirem “excluídas” se tornam “aprisionados da química. A química que agride nossos cabelos crespos lindos.

Nega do cabelo duro
Qual é o pente que te penteia?
Qual é o pente que te penteia, ó nega?”

Quem nunca ouviu piadas desse tipo?
Há muitos anos atrás musicas como “Nega do cabelo duro” vem sendo cantada. Várias letras “brincam” com o absurdo de pentear o cabelo de uma mulher negra, ou seja, não haveria pente capaz de pentear o cabelo “duro”, como muitas pessoas denominam os cabelos crespos.
Quantas crianças já escutaram essa música na escola:

“Nega do cabelo duro, Que não gosta de pentear” Ou brincadeirinhas do tipo: “Cabelo “de Bombril”, “palha de aço”, a “água nem entra”.

INDIGNAÇÃO!

Isso é o que eu sinto por ver nossas crianças sendo discriminada dessa forma. Muitas delas crescem com sua auto-estima baixa.
Para algumas mães isso é normal, pois um dia a criança crescer e aí faz o que quer da vida. Ou do tipo, alisa o cabelo da filha, passa henê, da pasta no cabelo, para que elas não se sintam “Diferentes” na escola.
Mas há também crianças brancas com ascendência Africana que sofrem várias piadas de mau gosto: “você é branco (a), mas porque teu cabelo é duro”? Não tem outro jeito a não ser alisar também o cabelo delas.
Muitos ficam aprisionados ao gel e demais produtos redutores de volume. São poucas as mães que tem consciência e trabalham a auto- estima dessas crianças, fazendo com que elas cresçam assumindo seus cabelos crespos com orgulho.

Eu sou prova viva disso tudo aqui, quantas vezes eu alisava o cabelo, dava ferro quente e de jeito algum queria usar o seu cabelo crespo. Não me considerava negra, tinha vergonha da minha pele, me considerava “morena”. E ai de quem me chamasse de Negra, eu falava logo “Não sou negra não, sou morena”. (rsrsrs...) só de pensar nisso me dar nojo.
É maravilhoso você não ter vergonha da sua cor, é muito bom você ter certeza que és uma Linda Mulher Negra e não ter vergonha do seu cabelo.


Saiba disso: Um cabelo Black Power, para muitos é só uma moda.

Mais par quem traz consigo a Africanidade, é um símbolo de RESISTÊNCIA.

 

 

 

 

“...Se eu quero pixaim, deixa
        Se eu quero enrolar, deixa
Se eu quero colorir, deixa
                Se eu quero assanhar, deixa
Deixa, deixa a madeixa balançar”
(Chico Cesar - Respeitem Meus Cabelos, Brancos)

 




Sil Kaiala
“Amante da Poesia Cantada”

2 comentários:

  1. Gostei da postagem! Muito legal. Parece muito com as postagens que faço em meu Blog, desabafando sobre assuntos polêmicos e citando músicas como exemplo. Concordo plenamente com o fato da "boa aparencia", na nossa sociedade, ter um padrão europeu. Eu acho muito bonito uma mulher de Black. Tô doido pra namorar com uma, mas numa entrevista de emprego pode ser visto como "extravagância". Ou pior: Mulher que tem cabelo crespo e não alisa é vista como alguém sem vaidade, que não se cuida, caso contrário ela alisaria ou disfarçava. É triste presenciar essa situação frequentemente e ainda compor essa sociedade repleta de preconceitos.

    dizendooquequer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Linda postagem Sil. lembrei de um belo livro que tive o prazer de ler, chama-se o Diario de uma favelada: Quarto de Despejo, é maravilhoso indico caso vc não tenha lido. Segue: " Eu escrevia peças e apresentava aos diretores de circos. Eles respondia-me:- É pena você ser preta. Esquecendo eles que eu adoro a minha pele negra, e o meu cabelo rústico. Eu até acho o cabelo de negro mais inducado do que o cabelo de branco. Porque o cabelo de preto onde põe, fica. É obediente. E o cabelo de branco, é só dar um movimento na cabeça ele já sai do lugar. É indisciplinado" ( JESUS, 2006:58)

    ResponderExcluir

utilize a sua inteligencia...