sábado, 11 de fevereiro de 2012

Esperança

Poema de Cristiane Sobral




Esperança

No devido tempo geramos a nossa tríplice aliança.

Sinto que vou ter uma menina
Vou enfim dar passagem a uma fêmea ainda sem nome
Parir uma seqüência de ais amplificados
hino de anúncio da sua chegada

Digo isso, pois nunca estive tão frágil
Até o meu jeito de passar batom mudou!
Vejo as coisas com férteis cores
Nunca desejei tanto o meu homem
Nunca preservei tanto a minha vida


Aqui no meu centro contemplo
As curvas da minha erótica barriga
O desenho ousado dos meus seios

Aqui no meu canto paquero
O meu meio, o meu umbigo
o meu cordão de novidade



Ah, garotinha, sei que nunca serás minha...
Siga em frente que o mundo acelera
Mas não machuque muito esse corpo que te ampara
Pois serei mulher sempre, acima de tudo

Venha meu homem
Venha ver que coisa engraçada
Essa gatinha toda enrolada no meu desejo...
Pegue na minha mão e sinta o nosso fruto crescendo aqui

Já contemplo escancaradas as portas da esperança.
Seja bem-vinda petiz à nossa santíssima trindade.

Cristianesobral.blogspot.com


Um comentário:

utilize a sua inteligencia...