domingo, 9 de dezembro de 2012

Giro Preto: A Justiça é Cega... E Você?

Um promotor de eventos que reside na cidade de Linhares, interior de São Paulo, insultou um carpinteiro enquanto estavam um bar, chamando de “macaco” e “preto”. De acordo com o Portal Geledés a policia efetuou a prisão em flagrante do promotor de eventos e este foi levado para a delegacia. Segundo o delegado de plantão, o acusado informou que chamou o carpinteiro de “macaco” em tom de brincadeira. Foi lavrado um auto de prisão por injuria racial. O Delegado estipulou fiança de 200 reais e o acusado foi liberado. É isso mesmo 200 reais. Somente 200 reais.

A autoridade policial é quem define o valor a ser pago como fiança, levando em consideração os seguintes aspectos:


 
  Natureza da infração;  Circunstâncias indicativas de periculosidade;  Importância provável das custas do processo até final julgamento;  Causas de aumento, qualificadoras e causas de diminuição de pena;
  
Entenda que ao estipular fiança de 200 reais, o delegado diz que a natureza da infração não é importante e que não há perigo algum uma pessoa confessadamente racista transitar na sociedade. Todas as vezes que um negro vai presar queixa em alguma delegacia, por crime de racismo ou injuria racial, não são levados a sério ou então não é dada a devida importância para a acusação. Isso porque viemos em um país que não admite ser racista. Enquanto não houver postos ou organismos, para denunciar crimes raciais contra negros, com negros trabalhando, a situação será sempre a mesma. Recentemente fui ao DECRADI(Delegacia de Crimes Raciais e de Intolerância), fazer a denuncia contra o apresentador Danilo Gentili, onde tive uma péssima experiência. Um delegado branco, dizendo que ele definiria se houve crime ou não. Mesmo tendo apresentado provas e evidências e estando acompanhado de um representante da Secretaria da Justiça de São Paulo, o delegado se mostrou relutante.

Existe um debate entre juristas que tentam alterar punições de infrações do código penal. A alteração das penas para o crime de racismo está nessa discussão. Alguns defendem que o crime de racismo se torne hediondo e que haja penas mais duras para crimes de injuria racial. Sabia disso?

A notícia publicada no Portal Geledés não mostra uma vitória, mas demonstra claramente as falhas que nosso país possui quando se trata de combate ao racismo. Questione, pense, seja um ser humano consciente.

2 comentários:

  1. Não sabia, há pouco, as diferenças existentes entre racismo e injúria racial (injúria com o agravante de preconceito racial). O racismo é inafiançável e imprescritível, mas um ato só se configura racismo se ofender toda a classe, isto é, não for endereçado a uma pessoa específica. Sendo direcionado a uma pessoa (ofensa racial), se determinará a injúria racial, que não é inafiançável. Em outras palavras, um absurdo, tendo em vista que a ofensa a um negro, ou um judeu, ou a um índio, pela sua condição étnica, é uma ofensa a todo o povo, viola a dignidade, autonomia e respeito de toda a cultura desse povo.

    ResponderExcluir
  2. -A meGaLOBO RACISMO? A violência do preconceito racial no Brasil personagem (Uma negra degradada pedinte com imagem horrenda destorcida e bosalizada é a Adelaide do Programa Zorra Total, Rede Globo do ator Rodrigo Sant’Anna? Ele para a Globo e aos judeus é engraçado, mas é desgraça para nós negros afros indígenas descendentes, se nossas crianças não tivessem sendo chamadas de Adelaidinha ou filha, neta e sobrinha da ADELAIDE no pior dos sentidos, é BULLIYING infeliz e cruel criado nos laboratórios racistas do PROJAC (abrev. de Projeto Jacarepaguá, como é conhecida a Central Globo de Produção) é o centro de produção da Rede Globo que é dominado pelos judeus Arnaldo Jabor, Luciano Huck,Tiago Leifert, Pedro Bial, William Waack, William Bonner, Mônica Waldvogel, Sandra Annenberg Wolf Maya, Daniel Filho e o poderoso Ali Kamel diretor chefe responsável e autor do livro Best seller o manual segregador (A Bíblia do racismo,que ironicamente tem por titulo NÃO SOMOS RACISTA baseado e num monte de inverdades e teses racistas contra os negros afro-decendentes brasileiros) E por Maurício Sherman Nisenbaum(que Grande Otelo, Jamelão e Luis Carlos da Vila chamavam o de racista porque este e o Judeu racista Adolfo Block dono Manchete discriminavam os negros)responsável dirige o humorístico Zorra Total Foi o responsável pela criação do programa e dos programas infantis apresentados por Xuxa e Angélica, apresentadoras descobertas e lançadas por ele no seu pré-conceitos de padrão de beleza e qualidade da Manchete TV dominada por judeus,este BULLIYING NEGLIGENTE PERVERSO que nem ADOLF HITLER fez aos judeus mas os judeusionistas da TV GLOBO faz para a população negra afro-descendente brasileira isto ocorre em todo lugar do Brasil para nós não tem graça, esta desgraça de Humor,que humilha crianças é desumano para qualquer sexo, cor, raça, religião, nacionalidade etc.o pior de tudo esta degradação racista constrangedora cruel é patrocinada e apoiada por o Sr Ali KAMEL (marido da judia Patrícia Kogut jornalista do GLOBO que liderou dezenas de judeus artistas intelectuais e empresários dos 113 nomes(Contra as contra raciais) com o Senador DemóstenesTorres que foi cassado por corrupção) TV Globo esta mesma que fez anuncio constante do programa (27ª C.E. arrecada mais de R$ 10,milhões reais de CENTARROS para esmola da farsa e iludir enganando escondendo a divida ao BNDES de mais de 3 bilhões dollares dinheiro publico do Brasil ) que tem com o título ‘A Esperança é o que nos Move’, o show do “Criança Esperança” de 2012 celebrará a formação da identidade brasileira a partir da mistura de diferentes etnias) e comete o Genocídio racista imoral contra a maior parte do povo brasileiro é lamentável que os judeus se divirtam com humor e debochem do verdadeiro holocausto afro-indigena brasileiro é lamentavel que o Judeu Sergio Groisman em seu Programa Altas Horas e assim no Programa Encontro com a judia Fátima Bernardes riem e se divertem. (A atriz judia Samantha Schmütz em papel de criança no apoteótico deste estereótipo desleal e cruel se amedronta diante aquela mulher extremem ente feia) para nós negros afros brasileiros a Rede GLOBO promove incentivo preconceito raciais que humilha e choca o povo brasileiro.Taryk Al Jamahiriya. Afro-indigena brasileira da Organização Negra Nacional Quilombo ONNQ 20/11/1970 – REQBRA Revolução Quilombolivariana do Brasil quilombonnq@bol.com.br

    ResponderExcluir

utilize a sua inteligencia...